PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Cervejas 7 x 1 crianças

Stevens Rehen

17/06/2018 18h03

A Copa do Mundo mal começou e a quantidade de comerciais de bebidas alcoólicas e refrigerantes ganha de goleada.

Meu filho de 6 anos jamais havia perguntado qualquer coisa sobre Coca-Cola, Brahma ou Budweiser.

Hoje, bastou assistir comigo a meia hora de jogo para, pela primeira vez, querer saber sobre essas bebidas.

Em determinado momento fiquei trocando de canal para tentar fugir dos comerciais. Foi em vão.

A regulamentação de uma droga é o melhor caminho para evitar seu abuso e minimizar riscos, entretanto, principalmente em época de Copa, a TV negligencia que o álcool é uma das substâncias de abuso mais perigosas que conhecemos.

Refrigerantes açucarados não ficam atrás, e são responsáveis pela explosão de obesidade e diabetes em todo o mundo.

O menino curte os jogos, quer saber mais sobre as seleções, conhecer as regras.

Nos próximos 30 dias terei o enorme desafio de estimular seu interesse sem que associe álcool, refrigerantes e junk food à prática do futebol.

Abaixo artigo do New York Times sobre como comerciais de bebidas alcoólicas influenciam de maneira perversa crianças e jovens.

"Alcohol manufacturers should self-regulate more to limit the number of children they reach."

"Researchers also found that young people who could accurately identify alcoholic products and who said they liked the ads were more likely to try drinking or to drink more."

http://time.com/3672188/alcohol-advertising-kids/

 

Sobre o Autor

"Stevens Rehen é um neurocientista brasileiro, coordenador de pesquisa do Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (IDOR) e professor titular do Instituto de Ciências Biomédicas da UFRJ. Também é Membro do Comitê Científico do Museu do Amanhã, Membro do Conselho Científico do Instituto Serrapilheira, Embaixador ASAPbio, Chair do Comitê Brasileiro da Pew Charitable Trust Latin American Program in the Biomedical Sciences, Coordenador científico da ArtBio, Membro da Academia de Ciências da América Latina e Membro Afiliado da Academia de Ciências do Mundo em Desenvolvimento (TWAS).Prêmio Saúde 10 anos na categoria Saúde Mental e Emocional, Revista Saúde e Editora Abril (2015), Prêmio Faz Diferença, Jornal O Globo (2011), As 100 pessoas mais influentes do Brasil em 2009 e novamente em 2011 (Revista Época). Os 8 brasileiros que estão moldando positivamente o futuro do país (Revista Fora de Série), Jornal Brasil Econômico, 2009. Contato para palestras, eventos e institucionais: srehen@uol.com.br"

Sobre o Blog

O cotidiano de um cientista no Brasil.

Blog do Stevens Rehen